top of page

Cloud x On-Premise: entendendo as diferenças e escolhendo a melhor opção


A computação em nuvem (ou Cloud Computing) é um modelo de computação no qual recursos de computação, como armazenamento, aplicativos e serviços de rede, são fornecidos aos usuários através da internet. Os usuários acessam esses recursos através de dispositivos conectados à internet, como computadores, smartphones ou tablets. Em vez de armazenar dados e executar aplicativos em dispositivos locais, as empresas e os usuários individuais podem armazenar e acessar esses recursos em servidores remotos, geralmente mantidos por provedores de nuvem.


Existem três tipos principais de computação em nuvem:

  1. Nuvem pública: em que os recursos são fornecidos por provedores de nuvem pública, como Amazon Web Services (AWS), Microsoft Azure e Google Cloud Platform (GCP), e são acessíveis por qualquer pessoa com uma conexão à internet.

  2. Nuvem privada: em que os recursos são fornecidos por uma empresa ou organização para seus próprios usuários e são geralmente acessíveis somente por esses usuários autorizados.

  3. Nuvem híbrida: em que os recursos são fornecidos tanto por provedores de nuvem pública quanto por nuvem privada, e os usuários podem escolher onde armazenar e executar seus aplicativos e dados.

A computação em nuvem oferece vários benefícios, como escalabilidade, flexibilidade e redução de custos, e é uma forma cada vez mais popular de fornecer capacidade de computação e armazenamento para as empresas e usuários individuais.


A computação em nuvem oferece vários benefícios para as empresas, incluindo:

  1. Escalabilidade: as empresas podem aumentar ou diminuir sua capacidade de computação de acordo com suas necessidades, sem a necessidade de investir em infraestrutura adicional.

  2. Redução de custos: as empresas podem economizar dinheiro ao pagar somente pelo uso da capacidade de computação que precisam, em vez de investir em infraestrutura própria.

  3. Flexibilidade: as empresas podem acessar aplicativos e dados de qualquer lugar, a qualquer momento, desde que tenham uma conexão à internet.

  4. Backup e recuperação de desastres: as empresas podem facilmente fazer backup de seus dados e aplicativos na nuvem, o que torna mais fácil recuperar-se de desastres.

  5. Colaboração: as equipes podem facilmente colaborar e compartilhar arquivos e informações, independentemente de onde estejam localizadas.

  6. Atualizações e manutenção: as atualizações e manutenção dos aplicativos e sistemas são geralmente realizadas pelo provedor de nuvem, o que economiza tempo e recursos para as empresas.

  7. Segurança: os provedores de nuvem geralmente oferecem altos níveis de segurança para proteger os dados das empresas.

  8. Análise de dados: as empresas podem usar a computação em nuvem para armazenar e analisar grandes volumes de dados, o que pode ajudar a obter insights valiosos para o negócio.

A computação em nuvem é uma forma cada vez mais popular de fornecer capacidade de computação e armazenamento para as empresas, permitindo-lhes se concentrar em suas atividades principais, e não na manutenção de sua infraestrutura de TI.



Por outro lado, on-premise é um termo utilizado para descrever uma solução de software ou sistema que é instalado e executado em computadores ou servidores gerenciados pelo próprio cliente, em vez de ser hospedado em nuvem pública ou privada. Isso significa que a empresa é responsável por manter e gerenciar os servidores e infraestrutura necessários para rodar o software ou sistema.


Algumas das principais vantagens do on-premise incluem:


  1. Maior controle: as empresas têm mais controle sobre a segurança, customização e configuração do software ou sistema, pois eles estão rodando em sua própria infraestrutura.

  2. Menor dependência de conexão à internet: como os sistemas estão rodando localmente, não há necessidade de uma conexão à internet constante para acessá-los.

  3. Personalização: é possível personalizar o software ou sistema para atender às necessidades específicas da empresa.

On-premise e cloud computing são dois modelos diferentes de implantação de tecnologia. On-premise significa que o software ou o hardware é instalado e executado localmente, na própria empresa. Já cloud computing, significa que o software ou o hardware é fornecido e executado por um provedor de serviços, através da internet.


Algumas das principais diferenças entre on-premise e cloud computing incluem:

  1. Custos: geralmente, as soluções on-premise requerem um investimento inicial maior para adquirir e instalar o software ou o hardware, enquanto as soluções cloud geralmente são pagas por meio de assinaturas mensais ou por uso.

  2. Escalabilidade: as soluções cloud geralmente oferecem maior escalabilidade, permitindo que as empresas aumentem ou diminuam sua capacidade de acordo com suas necessidades, enquanto as soluções on-premise podem requerer uma atualização de hardware para aumentar a capacidade.

  3. Manutenção: as soluções on-premise requerem manutenção e suporte interno, enquanto as soluções cloud geralmente são gerenciadas e mantidas pelo provedor de serviços.

  4. Disponibilidade: as soluções on-premise podem ser afetadas por problemas de hardware ou de conectividade, enquanto as soluções cloud geralmente oferecem maior disponibilidade, pois são executadas em múltiplos servidores.

As soluções on-premise e cloud possuem suas próprias vantagens e desvantagens, e a escolha depende das necessidades específicas de cada empresa.

1 Comment

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Guest
May 17, 2023
Rated 5 out of 5 stars.

Ambientes Cloud vem ganhando cada vez mais espaço. Já é questão essencial para a competitividade das empresas

Like
bottom of page